Início>[ICNIRP] Como são considerados os efeitos para a saúde que demoram muito tempo a desenvolverem-se?

A ICNIRP protege contra todos os efeitos adversos para a saúde, independentemente de ocorrerem imediatamente após a exposição ou levarem muito tempo para se desenvolver.  Os efeitos de longo-prazo são normalmente mais difíceis de avaliar do que os efeitos imediatos, e uma combinação de diferentes tipos de estudos é geralmente necessária para chegar a conclusões a respeito destes.  Por exemplo, para determinar se a exposição a CEMs RF (campos eletromagnéticos de radiofrequência) pode iniciar ou promover cancro, foram usados estudos de toda a vida animal, pois são capazes de demonstrar causalidade, mas como os humanos diferem significativamente dos não-humanos, a generalização para os humanos pode ser difícil.  Por outro lado, embora a determinação de causa possa ser um desafio na investigação epidemiológica, dado que o objeto do estudo é a população (humanos) na qual estamos interessados, o dimensionamento de casos-controle e de coorte prospetivos tem sido muito útil para determinar as relações entre os resultados de cancro e o uso de dispositivos que expõem as pessoas a CEMs RF.  Os estudos de incidência de cancro também se mostraram úteis em termos de vigilância da taxa de cancro e para testar se as alegações de que os CEMs RF causam cancro são consistentes com o que é visto no mundo real.  Portanto, embora um tipo específico de estudo não seja suficiente para determinar se a exposição de longo-prazo a CEMs RF resulta em efeitos adversos para a saúde, ao utilizar vários tipos de estudos para superar o que seriam as limitações individuais, a ciência aprendeu muito sobre a exposição a CEMs RF de longo-prazo.

2021-04-09T11:47:26+00:00
Go to Top